quarta-feira, 8 de novembro de 2017

NBR 5410 – Instalações Elétricas

           A Norma Brasileira NBR 5410 estabelece as condições mínimas necessárias para o perfeito funcionamento de uma instalação elétrica de baixa tensão garantindo assim a segurança de pessoas e animais e a preservação dos bens. Tradicionalmente, esta norma será aplicada para instalação elétrica de edificações, residencial, comercial, público, industrial, de serviços, agropecuário, hortiganjeiro, etc…
         Esta norma também se aplica em Comandos Elétricos, e não é por acaso… Comandos Elétricos vem ganhando espaço no mercado, deixando de ser simplesmente uma capacitação da área industrial, conquistando lugar em setores residenciais e comerciais. (Automação residencial, portões, etc.) Para os profissionais da área de eletricidade a NBR 5410 é, nada mais nada menos que o guia fundamental para o desenvolvimento das atividades profissionais do dia a dia. Vamos, brevemente neste artigo, entender um pouco das exigência da NBR 5410.
                            A Norma NBR 5410 aplica-se às instalações elétricas:
        Em áreas descobertas das propriedades, externas às edificações;
        Reboques de acampamento (trailers), locais de acampamento (campings), marinas e instalações análogas;
        Canteiros de obra, feiras, exposições e outras instalações temporárias.
        Aos circuitos elétricos alimentados sob tensão nominal igual ou inferior a 1 000 V em corrente alternada, com frequências inferiores a 400 Hz, ou a 1500 V em corrente continua;
        Aos circuitos elétricos, que não os internos aos equipamentos, funcionando sob uma tensão superior a 1 000 V e alimentados através de uma instalação de tensão igual ou inferior a 1 000 V em corrente alternada (por exemplo, circuitos de lâmpadas a descarga, precípitadores eletrostáticos etc.);          A toda fiação e a toda linha elétrica que não sejam cobertas pelas normas relativas aos equipamentos de utilização; Às linhas elétricas fixas de sinal (com exceção dos circuitos internos dos equipamentos).
         NOTA: A aplicação às linhas de sinal concentra-se na prevenção dos riscos decorrentes das influências mútuas entre essas linhas e as demais linhas elétricas da instalação, sobretudo sob os pontos de vista da segurança contra choques elétricos, da segurança contra incêndios e efeitos térmicos prejudiciais e da compatibilidade eletromagnética.
         A NBR 5410 aplica-se às instalações novas e a reformas em instalações existentes.
         NOTA: Modificações destinadas a, por exemplo, acomodar novos equipamentos elétricos, inclusive de sinal, ou substituir equipamentos existentes, não caracterizam necessariamente uma reforma geral da instalação.
          A Norma NBR 5410 não se aplica a: Instalações de tração elétrica;
          Instalações elétricas de veículos automotores;
          Instalações elétricas de embarcações e aeronaves;
          Equipamentos para supressão de perturbações radioelétricas, na medida em que não comprometam a segurança das instalações;
          Instalações de iluminação pública Redes públicas de distribuição de energia elétrica;                            Instalações de proteção contra quedas diretas de raios.
          No entanto, esta Norma considera as conseqüências dos fenômenos atmosféricos sobre as instalações (por exemplo, seleção dos dispositivos de proteção contra sobretensões); instalações em minas; instalações de cercas eletrificadas.
          Os componentes da instalação são considerados apenas no que concerne à sua seleção e condições de instalação. Isto é igualmente válido para conjuntos em conformidade com as normas a eles aplicáveis.
           A aplicação desta Norma não dispensa o atendimento a outras normas complementares, aplicáveis as instalações e locais específicos. São exemplos de normas complementares à NBR 5410 as normas ABNT NBR 13534, ABNT NBR 13570 e ABNT NBR 5418.

Respeitados os direitos da FONTE:Sala da Elétrica

sábado, 16 de abril de 2016

Como funciona um chuveiro elétrico?

O  chuveiro é um aparelho de terminação de rede de água, composto por orifícios por onde sai a água para fins de higiene pessoal. O chuveiro é de origem bem antiga, pinturas e outros tipos de registros mostram a existência dele na Grécia e Egito. No Brasil, o chuveiro elétrico foi desenvolvido na década de 1940. As peças que constituem um chuveiro elétrico são basicamente o resistor e uma membrana de borracha. O resistor é uma peça metálica de cromo, níquel ou uma junção destes dois metais. Estes metais tem a capacidade de chegar a altas temperaturas sem se danificar, assim a água que passa por ele é aquecida. A membrana de borracha fica antes dos orifícios do chuveiro, por onde sai a água. A água exerce pressão sobre a membrana, que faz o acionamento da chave elétrica, o que permite o funcionamento do chuveiro. Entenda melhor como funciona o chuveiro elétrico passo a passo:
  1. Quando abrimos o registro, a água entra na caixa do chuveiro com muita pressão. A pressão da água ao sair do chuveiro é diferente da pressão que ela entra na caixa do chuveiro, parte dessa pressão inicial se acumula dentro do chuveiro.
  2. A água acumulada pressiona o diafragma (membrana de borracha). O diafragma tem contato com alguns dispositivos elétricos dentro do chuveiro, ele pode aciona-los. Quando o diafragma sobe, em função da pressão da água, aciona estes dispositivos elétricos localizados na parte superior do chuveiro que é conectada a rede de energia. Neste ponto a corrente elétrica é acionada, ligando o chuveiro.
  3. A corrente elétrica percorre a resistência, fazendo com que ela se aqueça, assim a água que está próxima a essa resistência aquecida também se aquece.
  4. No fim, quando o registro é fechado, a água que resta no chuveiro escorre, fazendo com que o diafragma volte a sua condição original, interrompendo o contato com a parte superior do chuveiro e, consequentemente, interrompendo a passagem de corrente elétrica.

Como ocorre a mudança de temperatura no chuveiro

Na parte exterior do chuveiro encontra-se a chave pela qual é possível regular a temperatura do chuveiro, a chave “inverno e verão”. A temperatura da água depende de alguns fatores:
  • Potencia elétrica aplicada ao resistor:
Sabemos pela lei de Ohm que a corrente é inversamente proporcional a resistência, ou seja, se a resistência é grande, a corrente é pequena. Pensando assim, quanto mais curta for a resistência, maior será a corrente circulando por ela, e consequentemente, maior será a quantidade de calor gerado. O que a chave que regula a temperatura do chuveiro faz é orientar o caminho que a corrente irá percorrer, se for um caminho longo, a corrente vai circular por uma resistência maior, e gerar menos calor para aquecer a água.


Mudança da temperatura da água em um chuveiro.
Fluxo de água que passa pelo chuveiro:
Se mais água passar pela resistência, é preciso mais calor para obter a mesma temperatura final. Se analisarmos dois chuveiros da mesma potência, o que aquece menos está ligado a uma rede onde a pressão da água é maior, ou seja seu fluxo é maior. Por isso que ao fechar levemente o registro do chuveiro, diminuindo a quantidade de água, esta água sai em temperatura maior.
  • Temperatura inicial da água:
Se a água inicialmente estiver mais fria do que o comum, vai ser preciso maior quantidade de energia ou potencia para gerar mais calor e assim aquecer a água, deixando-a  na temperatura normal.
Esses fatores podem trazer dificuldades para os usuários de instaladores. Os fabricantes de chuveiros não poderiam colocar apenas um tipo de chuveiro no mercado, diante das variações que influenciam no seu funcionamento. Apesar de existirem muitos tipos, os usuários compram o chuveiro sem levar isso em consideração. Para escolher o chuveiro adequado é preciso levar alguns pontos em consideração:
  • Pressão da água:
Um meio de manipular a pressão e a vazão da água que entra na caixa do chuveiro é através de um recurso encontrado em praticamente todo tipo de chuveiro, uma pequena arruela. Ela controla o diâmetro pelo qual a água passa antes de entrar no chuveiro, ocasionando assim uma mudança na pressão.
  • Potência do chuveiro:
Dependendo da pressão da água e da temperatura inicial da água, o chuveiro oferece opções de potência para essas ocasiões. Não importa se o chuveiro é 127 V ou 220 V, pois a potencia que gera o calor que vai aquecer a água. Geralmente, são encontrados chuveiros de varias potencias, ou seja, um boa faixa de capacidade de aquecimento, na caixa do chuveiro existem opções de potencia para serem usadas. Na hora de escolher uma dessas potencias, deve ser levado em consideração a pressão e a temperatura inicial da água.
Os chuveiros que operam em 110 V alcançam sua potência máxima menor tempo do que os chuveiros em 220 V, por motivos de intensidade de corrente.

FONTE: http://www.mundodaeletrica.com.br/